quinta-feira, 22 de março de 2007

"...Não jogue suas pérolas aos porcos..."


“Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis as vossas pérolas diante dos porcos...”, disse Cristo aos seus discípulos.
Um dia desses, lendo essa passagem bíblica, onde Jesus proferia o seu famoso “Sermão da Montanha”, registrado no Evangelho de Mateus, capítulo 7, versículo 6, comecei a raciocinar como isso podia ter algum significado na minha vida pessoal.
Bem, naquele caso, Jesus falava de desperdiçar preciosidades com quem não tem receptividade. Segundo o Homem de Nazaré, seria como jogar “pérolas aos porcos”.
E hoje? Que significados assumiriam exatamente estas palavras?
Bem, falando de situações minhas, extremamente pessoais, quero dizer que me senti como se tivesse desperdiçando um tesouro com quem não poderia usá-lo, sequer reconhecê-lo como tal, dia desses aí. Me senti exatamente como Jesus falou ao lidar com alguém que não valorizou meus atos, minhas atitudes e inclinações. Você sabe o que é agir, falar, ser realmente verdadeiro durante um tempão e não ser valorizado? Você sabe o que é demonstrar isso e não ser reconhecido? Digo reconhecido por que não se tomam atitudes reais, íntegras ou verdadeiras esperando a retribuição. Não a retribuição, mas o reconhecimento. O respeito.
As pessoas gostam de ser reconhecidas por um bom trabalho realizado, uma boa palavra falada, um bom escrito ou até um conselho guardião da vida de outrem. Quando isso não acontece, a decepção é muito profunda. Beira o fracasso.
Pois é, você luta, perceja, esforça e não acontece absolutamente nada.
E eu me senti assim. Joguei minhas preciosidades na lama. “...Aos porcos”, como disse o maior homem que já viveu. Foi um sentimento de inutilidade tamanho, mas não totalmente fútil. Houve aprendizado.
Aprendi que, não importa o nosso esforço para com determinados assuntos ou determinadas pessoas, ainda assim nem sempre seremos reconhecidos. Não importa o nosso desejo de que elas entendam que labutamos em dar o máximo de nós para uma causa, um sentimento ou um trabalho, ainda assim será pouco. Quase nada.
É fato chegar à conclusão de que para estas pessoas, desperdiçamos nossos talentos, nosso tempo e nossas forças. Para estas, “lançamos nossas pérolas aos porcos”. Não adianta. Temos que esquecer. Despachar, fazer andar, deixar prosseguir e ao mesmo tempo também prosseguirmos. Passarmos adiante. Lá na frente haverá de ter quem valorize nossas ações, nossos trabalhos ou nosso sentimento.
Mas isso não pode e não deve servir de consolo. Haverá de ter mesmo alguém. Existirá!
Depois de perambular por uma situação muito estressante, eu pude mesmo confirmar que não há nada melhor do que um dia após o outro. Mas a lição de Jesus ainda permanece e permanecerá. Nossas preciosidades, aquilo que temos de melhor em nós, nossos talentos ou até mesmo nossos sentimentos não devem ser desperdiçados, jogados ao vento... “lançadas aos porcos”. Ainda uma amiga se sentiu ofendida um dia desses quando eu disse a ela que pelo fato dela não valorizar uma atitude minha, eu estava jogando pérolas aos porcos. Nossa!!! Ela ficou de bico torcido alguns dias. Disse que eu a havia chamado de porca. Claro que não foi isso! Ela na sua absoluta inteligência sabe que eu quis dizer que estava desperdiçando meu tempo com algo que ou ela não entendia ou não queria entender. Mesmo assim ela Não se conformou. Mas se conformando ou não, a verdade e a moral da história é sempre a seguinte: Para determinadas pessoas, não devemos perder o nosso tempo. É melhor seguir adiante que certamente encontraremos quem nos valorize por completo. Amém!

4 comentários:

Cristhina Campos disse...

Olha, eu sei muito bem o que é jogar pérolas aos porcos. Acho que vc tocou num assunto importante, por que sinceramente, o quemais tenho feito na minha vida é jogar pérolas aos porcos. É lutar e não ser reconhecida. De fato, vc tocou num assunto demasiadamente importante no que diz respeito a sensação de inutilidade que a gente sente. Parabéns, tocou fundo! E parabéns tb pelo blog. Esse aqui está muito bonito. Ilustrado e tudo mais hein?..sinto falta de sua foto. Vai colocar né?..bjos.

Camila Nog. disse...

Olha, eu naum sei mto o que é jogar pérolas aos porcos.Um dia alguém me disse isso tb. E o pior é q a pessoa disse q estava fazendo em relação a mim. Vc me ajudou a compreender. Achei interessante a sua dissertação. Compreendi mesmo. É importante reconhecer as pessoas e o q elas fazem pra gente. Mas, nairlan, estou sentindo falta dos contos, as estórias que vc escreve. Vc me disse anteriormente que o seu blog teria uma tônica mais para os contos reais ou fictícios. Vc começou bem com o "Encontro Marcado", mas depois está adotando um estilo de falar muito do dia a dia. Gostaria de vê-lo mais na linha dos contos. Acho interessante quando escreve sobre isso. Não que o assunto das pérolas não tenha me trago proveito, mas é que prefiro os contos. pronto, tá dito, e falei. Um super beijo de uma pessoa que te adoraaaaaaaa!!!!

Paulo Sérgio Queiroz disse...

onde vc foi achar que Pérolas aos porcos é não ser reconhecido?..Só vc mesmo, hein! Gostei da comparação. Mas vc anda muito religioso, normalmente vc se abstêm de comentários sobre religião, né? Isso é o q sei. Está voltando a ler a bíblia? abs de um grande amigo.

Janaína disse...

Um dos textos mais profundos q vc teve a inspiração de escrever,
talvez o mais profundod todos.

De fato, a msg do Mestre nos deixou é preciosa demais p/ q não seja valorizada. Gosto muito do fato d vc trazer a palavra Dele pra sua vida d uma forma tão real.
E entendo o q vc quer dizer com fracasso pois já me senti exatamente assim: oferecendo o mais precioso de mim p/ pessoas que não sabiam dar o merecido valor. É realmente, muito frustrante!

Acredito q qnd isso ocorre, temos q esqcer(embora seja difícil), romper os laços s for preciso e deixar a vida seguir o seu curso.Porém, tenha cuidado ao dizer q algumas atitudes suas não são valorizadas. Vc julga q elas não sejam, mas talvez elas sejam sim valorizadas, mesmo q não da forma como vc gostaria.

No mais, deixo o meu abraço, até a vista!